Home
Fique por dentro das notícias do mundo gospel.

Espanhóis criam a primeira igreja “evangélica” gay do país

Um grupo de cerca de cem homossexuais espanhóis anunciou a criação da primeira comunidade religiosa para gays, lésbicas, bissexuais e transexuais – a Primeira Igreja Protestante Inclusiva.

O grupo se define como “uma organização evangélica que não pretende discriminar ninguém por opção sexual ou credo” e pretende formar pastores, oferecer cultos e casar homossexuais, inclusive ateus.

Os criadores da igreja afirmaram que já têm preparados os estatutos da nova instituição e pedirão, ainda esta semana, a inscrição na Direção Geral de Assuntos Religiosos do Ministério da Justiça da Espanha.

Este pedido pode iniciar uma disputa legal com a Federação Espanhola de Igrejas Evangélicas, organização que reúne as 2,3 mil organizações que professam esta religião no país.

“A princípio não damos crédito a essa notícia. Eles primeiro têm que demonstrar que realizam atividades religiosas e aí veremos se o Ministério de Justiça admite ou não o pedido”. “

“Se forem aceitos e usarem o nome Evangélico, protestaremos com medidas legais, porque seria um uso indevido”, disse à BBC Brasil o diretor da Federação Espanhola de Igrejas Evangélicas, Jorge Fernández.

Casamento gay

A Federação Evangélica anunciou em 2005 a sua oposição ao casamento entre homossexuais, aprovado neste ano na Constituição espanhola.

A Conferência Episcopal da Espanha também foi contra a aprovação do casamento entre homossexuais e critica a nova igreja gay.

“Para começar, não sei como dizem que formarão novos sacerdotes, porque os evangélicoss não possuem ordem sacerdotal, mas um pastor que dirige a oração”, disse à BBC Brasil o responsável pelo grupo de ecumenismo da Conferência Episcopal, Vicente Sastre.

“É certo que algumas comunidades anglicanas americanas ordenaram sacerdotes homossexuais, mas houve tanto conflito e polêmica que estes grupos estão a ponto da ruptura. Em todo caso, a igreja católica tem uma postura clara sobre este assunto baseada no Novo Testamento”.

Apesar das críticas, o Grupo Gay Evangélico da Espanha pretende insistir com a nova igreja.

“Seremos a mais democrática das igrejas. Não é um projeto mediático, mas necessário, porque 99% das igrejas evangélicas espanholas nos impedem de receber os sacramentos e muitas delas nem nos deixam entrar”, afirmou à BBC Brasil o porta-voz do grupo, Andrés de la Portilla.

Reuniões secretas

“Além disso, essa nova instituição ajudaria a acabar com muitas mentiras e hipocrisias, principalmente dentro de ambientes religiosos”, completou.

Segundo o porta-voz, o Grupo Gay Evangélico existe há 20 anos, mas ainda há muitas ameaças e represálias “tanto de setores eclesiásticos como laicos”.

Por isso as reuniões sempre são secretas, e o endereço definitivo da nova igreja só será anunciado quando as medidas legais e de segurança estiverem garantidas.

O que está confirmado é que a igreja ficará sediada na cidade valenciana de Sagunto, no litoral mediterrâneo, por sua localização estratégica, próxima a lugares frequentados abertamente por gays como Ibiza e Barcelona.

Fonte: BBC Brasil

Tags: ,

1 Comentário

  1. É muito estranho, ver o movimento Gay querendo fundar uma instituição de cunho religioso, vendo que na pratica eles ñ observão os ensinamentos cristãos, que por sua vez tem na “Biblia”, a sua regra de fé e pratica. Fica evidenciado que o objetivo aqui, não é buscar os fundamentos da fé cristã para uma posterior pratica da adoração ao Deus criador e observância dos seus etatutos. Se esta nova instituição vier a ser fundada, e eles ” Seus fundadores”, não irão se deparar com a necessidade da consulta as sagradas escrituras? E lá consequentemente não depararão com os textos contrarios a opção que eles adotam no seu viver diário? Não sei como possíveis adeptos irão frequentar um ambiente, aonde irá se pregar aquilo que deveria ser a base doutrinária da então instituição “fundada” que se baseia em uma constituição existente e vigente, mas que na pratica a mesma não a segue. Imagino então que para que esta nova instituição venha a ter sua legitimidade reconhecida, suponho que os fundadores, ou cumprirão parte do texto sacro e com isso já incorrendo em erro grave, ou serão obrigados a criar suas proprias escrituras, para adquirir legitimidade. Porém devo resaltar que as sacras escrituras, não forão pruduzidas por vontade humana, isso impliará na constatação de que essa nova instituição não tem reenvindicação divina, mas sim exclusivamente humana. Fica a minha pergunta para os então opinantes homosexuais? Voces irão crer no proprio produto produzido por voces mesmos, ou nas verdades preexistentes nas escrituras sagradas? Sodôma e Gomorra, já não seria batante ilustrativo para vos persuadir de tal intento que afronta não necessariamente a nós homens, mas sim a Santidade de Deus. Pois o que vós intentais é contrário aos pincipios da Santidade, visto que a forma como desevolvem suas mais intimas relações é abominação à Deus. Acho prudente da parte dos digentes desse movimento, procurar sem paixões aguerridas de achar que todos praticam e são homofóbicos, lembrar que a Biblia tem idade e História suficiente para reinvindicar as verdades nela contidas. Não acitar as praticas homosexuais, mas amar o ser criado por Deus anda que vivendo desvirtuado dos verdadeiros ensinamentos do seu criador, é meu e de toda a sossiedade racional e intectualmente estruturada. Que Deus na sua imensa sabedoria possa abrir os olhos do intendimento das pessôas que os tem boqueados, por força de uma “Opção”.

Faça seu comentário